quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Resenha > "Cidade da Penumbra", Lolita Pille


TítuloCidade da Penumbra
AutoraLolita Pille
EditoraIntrínseca
Páginas: 304
Edição2010
Classificação: 3/5


Sinopse: Bem-vindo à cidade da penumbra! Todos tem direito à Beleza, à Juventude, ao Conforto Mínimo. Syd Paradyne, tira da série B, barba de dois dias, alcoólatra, investiga o suicídio de um obeso. O sol não aparece há muito, muito tempo. A corrupção reina. Aparece uma garota linda e estigmatizada. Blue tem os olhos azul-metálicos e segredos inconfessáveis: é uma possibilidade de amor em um mundo sem esperanças. Nessa sátira a uma sociedade utópica baseada na premissa da felicidade obrigatória, em uma atmosfera de policial noir, Lolita Pille faz referências a pesos-pesados da ficção científica, como George Orwell; Aldous Huxley; William Gibson, o fundador do cyberpunk, e Philip K. Dick, autor de Do Androids Dream of Electric Sheep?, o livro que inspirou o filme Blade Runner. Cidade da penumbra é um retrato muito bem-acabado do consumismo e do endividamento bancário, do uso indiscriminado de remédios e drogas e da ditadura da felicidade a qualquer preço. Ao lidar com esses temas que já assombram o presente, a autora cria polêmica e aborda o totalitarismo, o racismo, a desinformação, a vigilância big brother, as cibertecnologias e assim, mais uma vez, desafia convenções.

Resenha:

Pessoal você devem ter percebido que eu não postei minhas leituras de Julho, eu não consegui terminar este livro, toda vez que eu o olhava eu perdia totalmente minha vontade de ler, ai eu fui adiando e adiando e no final eu percebi que não tinha lido nada físico. Vamos ao que vocês querem ver ( heheheh ):

O sol não aparece há muito tempo na cidade da penumbra, por causa da camada de ozônio ter sido coberta por uma densa fumaça escura. Para fazer elevar a felicidade das pessoas os governantes tomaram decisões muitos desastrosas para uma sociedade. A legalização das drogas e da pedofilia são duas das coisas que podem ser feitas depois destas novas decisões. 

O livro começa falando sobre a vida e as dificuldades de Colin Parker, que é um obeso que sofre de depressão. As pessoas riem dele, apontam ele e para completar não tem vida social e isso só faz Colin se sentir mais triste e com muita vontade de se matar. Depois de perder seu emprego ele fica anos em seu apartamento engordando e vendo filmes impróprios para menores de 18 anos. Quando a energia acaba em um grande apagão ele faz uma coisa triste, que tenta ser evitado por Syd.

O livro começa falando de Colin mas muda para seu personagem principal que é Syd Paradine que é um agente da SPS ( que e uma organização que tenta evitar os suicídios de pessoas que tem o aparelho de socios ) e esta em processo de separação de sua mulher, que e filha do dono de quase metade da cidade que ele mora. Ele tenta lutar com seu passado escondendo os seus erros, que voltam a vida a cada minuto o atormentando.

Também temos Blue ( a menina da contra capa ) que é o par romântico de Syd. Blue é irmã de um amigo do nosso agente que no final não era amigo coisa nenhuma ( leia que você vai entender ). Mas por causa do irmão de Blue eles de encontram, não viram amigos de cara só se entendem melhor quando vão para cama ( hehehe ).

O livro é meio doido e me deixou muito confuso em algumas cenas ( quase 100% brincadeira hehehe ), mas a escritora escreve bem e recomendo para aqueles que gostam de distopias, eu não vou ler ele outra vez para não perder outro mês de leituras ( heheheheh ).

Espero que tenham gosta e me sigam nas redes sociais.
Fui

Nenhum comentário:

Postar um comentário